Alimentação dos gatos

Alimentação dos gatos

Como qualquer ser vivo, os gatos também precisam de comer. E como também é óbvio, há coisas que fazem bem ao gato, coisas que fazem mal, coisas que necessitam na sua dieta e coisas que nem tanto.

Se estás na dúvida em relação ao que dar ao gato para comer ou simplesmente queres aprender se a dieta de delineaste para o teu gato é a ideal, na continuação vamos falar um pouco sobre este tema para que todas as tuas dúvidas fiquem esclarecidas.

Quando comer

Os gatos não têm como costume terem uma ou duas grandes refeições e já está. Muitas vezes damos conta deles irem à sua tigela petiscar algo e voltarem para o sítio onde estavam deitados, pois a viagem até o comedouro foi bastante cansativa.

Mas isto não quer dizer que as grandes refeições devem ser abolidas. Nada disso. Em termos de refeições principais, o número destas depende directamente da idade do gato, sendo a escala a seguinte:

  • 1 a 6 meses de vida – 4 vezes por dia
  • 6 a 9 meses de vida – 3 vezes por dia
  • Depois dos 9 meses – 1 ou 2 vezes por dia

Mas não é tudo, e até é natural pensares que poderá ser muito pouco. Como eles vão muitas vezes apenas petiscar, é importante deixares algo sempre pronto na tigela para eles comerem. De preferência algo nutritivo, sem odor e que não se estrague com facilidade, pois poderá passar algum tempo no comedouro.

O que comer

Há dois alimentos básicos que os donos dão aos seus gatos devido à existência de informação. Falamos claro, de enlatados e ração seca. É importante ler os rótulos e embalagens destas comidas para termos a certeza que o alimento que estamos a comprar é o ideal para o nosso animal. Normalmente divide-se por idades, mas algumas até podem fazer referência à própria raça.

Como é óbvio, existe boa comida enlatada / ração seca como também existe da má. Comprar por vezes o mais barato é por vezes ainda pior, já que normalmente o preço reflecte a quantidade de nutrientes e até mesmo sabor, pelo que os gatos podem reagir de formas distintas a uma má comida.

Para além destas “comidas standard”, os gatos podem comer outras coisas que nós próprios podemos preparar (sem temperos). Eles gostam tanto de carne como de peixe, pelo que podemos cozê-los ou grelhá-los para que de vez em quando se deliciem.

Existem também guloseimas específicas para gatos que podemos comprar e dar de vez em quando. Não devem de forma alguma substituir uma refeição, mas tal como nós, eles também merecem um mimo de vez em quando.

A água é mais uma bebida do que comida, mas merece destaque de qualquer das formas. Todos nós sabemos a importância da água para qualquer ser vivo, mas algo que deves saber é que para além de ele dever ter sempre água pronta a beber, esta deve ser mudada duas vezes por dia para que tenha sempre água fresca e limpa.

Como a ração seca por vezes pode ser demasiado seca para engolir, a água irá ajudar não só a comê-la como também a digeri-la melhor sem quaisquer riscos de se engasgar.

O que não comer

Já sabemos quando e o que é que o nosso gato deve comer, agora temos que perceber que é que não deve comer. Os gatos não devem antes de mais comer a nossa própria comida. Seria impensável fazer um bitoque e dar ao gato com almoço. Por muita graça que isso possa ter, os temperos e mesmo os alimentos que não fazem parte da dieta do gato poderão causar desequilíbrios nutricionais, com todas as consequências e riscos que isso possa trazer.

Dentro da lista de alimentos proibidos para gatos podemos encontrar por exemplo:

  • Todos os lacticínios (incluindo leite de supermercado);
  • Doces (principalmente o chocolate);
  • Carne de porco;
  • Enchidos;
  • Fiambre;
  • Qualquer alimento com cafeína;
  • Uvas;
  • Abacate;
  • Cebolas e alhos;
  • Tomate.

Problemas na alimentação

Poderá acontecer, principalmente se estivermos a dar para comer sempre o mesmo, que o animal se enjoe da sua própria comida e comece a deixar de comer. Quando assim acontece, podemos mudar um pouco a sua dieta. Se ele fartar-se por exemplo da comida em lata que compras, podes trocar de marca ou de tipo para que ele sinta um sabor novo.

Mas apesar deste alerta, não comeces a trocar a comida com frequência. Fá-lo apenas quando o gato assim o quiser, já que devido ao seu sistema digestivo sensível, estar constantemente a comer coisas diferentes poderá causar problemas.

Quaisquer outras questões relacionadas com a alimentação, desde problemas a simples conselhos, os veterinários são sempre a melhor opção.

Compártelo en tu red social:
Más en Animais - Gatos:
Aviso legal Contacto Google+ Facebook